Blend Mercado Gourmet

by Márcio Davi
1 ano ago
0 Views

Essa foi uma experiência que pode, por certo, classificar-se como única. Um projeto que precisava, antes de tudo, apresentar-se como conceito. Atender expectativas, necessidades e sonhos com linguagem particular e ousada.

O projeto surgiu de alguns pilares fundamentais ao seu sucesso.

O projeto foi, assim como houvera sido apresentado ao conceito do negócio, ser, também em si mesmo, extraordinário, na tradução literal da palavra. Algo fora da rotina, uma estética, acima de tudo, singular, com a personalidade que esse novo negócio necessitaria.

Associado a essa expectativa, talvez até disruptiva, o melhor custo benefício se apresentou como segundo sustentáculo do projeto, não como barreira, mas sim como mola de criação. Sob essa ótica as sugestões começaram a desenhar-se, aproveitando-se de materiais com baixo custo, fácil acesso e durabilidade inquestionável. O aço, elemento presente em todo o espaço, assumindo como protagonista dessa linguagem industrial, permeia todos os ambientes, sem se permitir, contudo, ser frio, mas sim, aconchegante, curioso e agradável aos olhos e ao uso.

Por fim, como terceiro pilar, a manutenção. Os materiais deveriam ser duráveis, de fácil instalação e manutenção. Pode-se dizer então que um dos partidos arquitetônicos é que seu interior seja criativo, diferente, mas que seus matérias sejam de faço acesso, rápido manufaturamento e a um custo o acessível, talvez até “gratuitos” se a criatividade passear pelo reaproveitamento, partindo da pergunta que mais se repetiu no processo criativo; “e se esse material não for usado como de costume?”

Abraçando a ideia, contamos com parceiros que viveram o mesmo sonho, a Construtora Queiroz Gois comprou cada desafio e reinventou sua forma de olhar os materiais, a fim de nos apoiar. Bem como a AUDIUM que não se paralisou com cada uma das provocações, ao contrário, fez-se presente não só no projeto, como nas indagas de cada nova ideia.

Fotos: Rodrigo Melo